segunda-feira, 25 de março de 2013

Franceses vão as ruas protestar contra "casamento" gay

Franceses vão as ruas protestar contra casamento gay

by pauladamas

Cerca de 300 mil pessoas lotaram as ruas do centro da capital francesa
Este domingo (25) foi marcado por uma grande passeata contra união entre pessoas do mesmo sexo, em Paris. Segundo reportagens, cerca de 300 mil pessoas lotaram as ruas do centro de Paris para protestar contra o plano do presidente francês, François Hollande, de legalizar o casamento e a adoção de crianças por homossexuais até junho. Imagens televisionadas mostravam alguns embates, com forças de segurança disparando gás lacrimogêneo sobre manifestantes vestidos de rosa e gritando slogans contra Hollande.
Em Paris, é a segunda vez que acontece um protesto desse tipo em 2013, após uma marcha semelhante em janeiro mostrar a redução do apoio público a um projeto, o que forçou autoridades a adiar um plano para permitir que casais lésbicos tenham acesso a inseminação artificial. Hollande prometeu aprovar a lei com sua maioria parlamentar socialista e atraiu a raiva de rivais ao tentar evitar um debate público sobre a reforma, o que a ministra da Justiça, Christine Taubira, descreveu como uma "mudança de civilização".
O Senado francês analisar a medida em abril. Oponentes ao casamento e à adoção de crianças por homossexuais, incluindo a maior parte dos líderes religiosos na França, argumentaram que a reforma criaria problemas psicológicos e sociais para crianças que, segundo eles, devem ter prioridade sobre o desejo de direitos iguais para adultos gays.
Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.
Fonte: O Globo
pauladamas | Março 25, 2013 ás 11:34 am | Tags: casamento gaygospelParis | Categorias:Mundo | URL: http://wp.me/p1RNj5-7EG

sábado, 23 de março de 2013

O que é mais representativo? 13 mil votos do imoralista Jean Wyllys ou 212 mil votos de Feliciano?


21/03/2013
 às 18:34

Na base do berro, da intimidação e da violência. Mas tudo em nome do bem! Ou: Os 13 mil votos de Jean Wyllys valem mais do que os 212 mil de Feliciano?

Vejam esta foto.
 
Já explico o que ela faz aí. Antes, algumas considerações.
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), resolveu pegar carona no processo de demonização do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) — que só está na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias por obra do PMDB e do PT — e lhe deu e a seu partido uma espécie de ultimato: tem de renunciar ao posto. Não há forma legal de tirar o deputado de lá. O PSC é que está sendo pressionado. Certamente o partido é alvo de ameaças de retaliação. Feliciano diz que não sai. Tendo a achar que será muito difícil resistir.
Também a ministra Luíza Bairros, da  Secretaria de Política de Promoção Social da Igualdade Racial, disse no programa “Bom dia, ministro”, que o PSC deve reavaliar a indicação: “Toda mobilização em torno da manutenção [de Feliciano no comando da comissão] coloca na mão do PSC uma decisão que é de reavaliar se é coerente com o histórico de direitos humanos no Brasil manter uma pessoa com as convicções do deputado na presidência de uma comissão tão importante”.
Certo! Luíza Bairros é aquela senhora que foi flagrada chegando em carro oficial a um encontro promovido pelo PT, conforme se vê na foto abaixo.

Farra motorizada – em sentido horário, a assessora da ministra Ideli Salvatti; Luiza Barros, da Secretaria de Igualdade Racial; a senadora Ana Rita e a prefeita Lucimar, de Valparaíso (GO). É o estado a serviço do poder feminino… do PT!
“O que uma coisa tem a ver com outra, Reinaldo?” Tudo. Parece que um grupo político, no Brasil, tem não só o monopólio dos direitos como também o das ilegalidades. E olhem que estão tentando tirar Feliciano da comissão por delito de opinião — se a opinião é imbecil ou errada, isso é outra coisa.
O futuroNão adianta tentar me patrulhar, acusando-me de apoiar o pastor. É mentira! Aqui ninguém leva nada no grito, não! Deploro algumas falas de Feliciano e já deixei isso claro. Apontei até o seu erro numa citação bíblica. Mas o fato é que, no regime democrático e de direito, não existem monopólios de representação em comissões do Congresso. Apontem uma só ilegalidade que teria sido cometida na sua condução ao posto que ocupa. Zero! Nenhuma!
A imprensa que condescende gostosamente com a bagunça está fazendo uma opção: substituir uma decisão legal e democrática por uma imposição que se dá por meio da baderna. É evidente que os grupos descontentes com a permanência de Feliciano na comissão podem se manifestar, mas não da forma como vêm fazendo (veja sequência de fotos mais adiante).
Henrique Eduardo Alves, empenhado em ficar “de bem” com essa imprensa, que não o tem exatamente na conta de um Varão da República, resolveu pegar carona no linchamento. Se Feliciano for substituído, como está em vias de acontecer, estará dado um norte: bastam 30 ou 40 pessoas, profissionais da baderna, para decidir os rumos de uma comissão. O Congresso deixa de ser um Poder de representação e passa a funcionar na base da “ditadura direta” fantasiada de “democracia direta”, já que esses 30 ou 40 militantes — essa gente já tem a vida ganha? Não precisa trabalhar? — imporão a sua vontade a quem chegou lá pelo voto popular.
Digam-me aqui: os 212 mil votos de Feliciano valem menos do que os 13 mil de Jean Wyllys (PSOL-RJ)? Não! Não estou dizendo que o mais votado tem sempre razão. Fosse assim, Tiririca seria Schopenhauer. Estou afirmando que é preciso respeitar a representação popular. Ainda que a sociedade não possa e não deva se conformar apenas com esse processo formal, sem ele, é fato, não existe democracia digna desse nome. Partimos para a luta de todos contra todos.
As fotos
A foto que está lá no alto pertence a uma sequência publicada na Folha Online, de autoria de André Borges, da Folhapress.  Antes que aquele rapaz de amarelo exibisse aqueles dizeres, ele já havia se movimentado a valer, nesta quarta, na sala que abriga a comissão, que,  mais uma vez, não conseguiu levar adiante a sessão. Vejam.
 
Ele é só o elemento mais buliçoso do grupo que dá as cartas por ali. Ainda que não tenha sido eleito por ninguém, ainda que, segundo os critérios da democracia, não represente ninguém, ele se impõe sobre o voto popular, não é? Isso é evidente. Curioso o Congresso Brasileiro, de tantas e tão conhecidas maracutaias e sem-vergonhices! A população ignora boa parte dos temas que são debatidos por ali. São assuntos arcanos para a larga maioria. Uma Comissão de Direitos Humanos, no entanto, é entregue ao controle das “minorias” porque isso cria um arremedo de democracia direta.
“Democracia”? Leiamos os dizeres daquela folha exibida pelo rapaz de amarelo. Lá está escrito em maiúsculas: “CADÊ A ONU PARA FECHAR O CONGRESSO NACIONAL???” Duvido que ele tenha muita clareza sore a indagação que faz, mas é inegável que existe ali um conceito embutido: “Ou o Congresso faz o que nós, que estamos aqui, queremos, ou ele pode ser fechado”. Outra foto também chama a minha atenção. Vejam.
 
Embora a imagem sugira que o rapaz se comporta de modo educado (não estava lá e, portanto, não posso garantir), seu questionamento é mais interessante, talvez, do que ele mesmo imagine: “Maldição é ser desrespeitado por quem deveria nos representar”.
Pois é, meu jovem! O chato é que Feliciano, na democracia que ainda temos, “representa”, sim — não necessariamente os seus anseios, mas representa! O fato de que a pauta dele não seja a sua não o torna ilegítimo. E vou lhe explicar, meu bom jovem, por que isso é uma garantia também para você: ou bem se considera que toda representação, no escopo do estado de direito, da legalidade, é legítima no Congresso, ou bem se considera que certos grupos não têm o direito de existir.
Nesse segundo caso, rapaz, você abre as portas para que, amanhã ou depois, uma nova maioria ou uma nova “verdade influente” casse o seu próprio direito de se manifestar. Entendeu como funciona a democracia? O democrático não é o que eu quero; o democrático não é o que os outros querem; o democrático é haver regras pactuadas — também de forma democrática! — para que todos esses quereres possam se articular e conviver.
Impor-se na base do berro e da intimidação física não está entre as regras.
Encerro com uma pergunta ao deputado Henrique Eduardo Alves: a tolerância com a gritaria e a violência só vale para esse grupo que ora se manifesta, ou qualquer outro que resolva inviabilizar o funcionamento de uma comissão conta com o apoio da presidência desta Casa? Que tal, presidente, fazer uma espécie de manual listando os grupos que têm licença  especial para partir para a porrada e para a intimidação?
Por Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 22 de março de 2013

Está provado que as novelas moldam a moral brasileira.


Está provado que as novelas moldam a moral brasileira.


http://familiaestruturada.blogspot.com.br/2013/03/esta-provado-que-as-novelas-moldam.html

Por que as esquerdas odeiam Marcos Feliciano?

Sereia traiçoeira: Por que as esquerdas odeiam Marcos Feliciano?

Julio Severo
Em nota pública, o setor gayzista do Partido Socialista Brasileiro (PSB) disse:
“Prezados Companheiros Socialistas, A Executiva Nacional LGBT do PSB vem, por meio desta nota, repudiar a indicação do nome do Deputado Pastor Marco Feliciano (PSC) para a Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal. Considerando que o PSB é um partido de esquerda e socialista… entendemos que os Parlamentares Socialistas devem votar contra a indicação do nome desse parlamentar para a Presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.”
Mas o PSB não está sozinho. O PT e todos os outros partidos socialistas do Brasil estão expressando o mesmo azedume ideológico.
Afinal, qual é a bronca dos socialistas do Brasil? É por que Marcos Feliciano tem ficha suja? De fato, há alguns problemas na ficha dele, mas nada que se compare à ficha de notórios militantes socialistas do Brasil.
Se o PSB e todos os outros partidos esquerdistas quisessem a cassação de todos os políticos com ficha suja, todos os políticos acusadores de Feliciano estariam em maus lençóis. Todos eles iriam para o espaço.
O problema não é Feliciano, que já cometeu a tolice de apoiar Dilma Rousseff e as próprias esquerdas que o querem enfocar agora. O problema não é sua ficha.

Aborto e homossexualismo

O problema é sua postura cristã contra o pecado homossexual e contra o pecado de matar crianças em gestação (aborto).
Por isso, os ataques das esquerdas não se restringem a Feliciano. Qualquer parlamentar que sustentar posturas contra o aborto e o homossexualismo sofrerá de todas as esquerdas o mesmo ódio que Feliciano está sofrendo.
Em nota pública, o setor gayzista do PSB oficialmente questionou também “a indicação do Deputado Pastor Eurico/PSB-PE para a composição da Comissão de Direitos Humanos, na cota do PSB, considerando o fato de que suas falas e posicionamentos poderão se tornar um óbice [obstáculo] quando da apreciação de temas polêmicos, temas estes defendidos pela militância e pelos segmentos sociais do PSB, quer sejam as bandeiras do LGBT.”

Por que a união deles com os socialistas?

Não me perguntem como o Deputado Pastor Eurico, sendo ministro do Evangelho, consegue ser parte de um partido e de um movimento ideológico cuja principal pretensão é substituir Deus na vida das pessoas. O socialismo impõe sua ideologia como o Grande Deus Pai de todos. É a religião obrigatória do Estado que controla a tudo e a todos.
Não me perguntem por que Feliciano fez campanha por Dilma Rousseff na eleição presidencial de 2010. Ela achou útil o apoio bobo dele. A postura dele contrária ao aborto e ao homossexualismo não incomodava, enquanto ele não tivesse um cargo importante para defendê-las.
Contudo, a partir do momento em que Feliciano foi escolhido como presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH), tudo mudou. Ele virou empecilho. E enquanto a eleição presidencial de 2014 não chega, Feliciano continuará apenas empecilho. Quando a eleição chegar, ele novamente ouvirá o canto da sereia Dilma e o coro da esquerda maléfica o chamando para fazer campanha por eles.
Neste momento, ele não ouvirá nenhum doce canto de sereia. Tudo o que ele ouvirá são gritarias de ódio, pois as esquerdas odeiam o Deus que rivaliza com a religião ideológica deles, com o Deus-Estado deles.
E como toda falsa religião, o socialismo tem seus falsos profetas e pastores.

Esquerdismo “crente”

Entre os vários movimentos protestantes esquerdistas que se juntaram na campanha de ódio da esquerda secular contra Marcos Feliciano está o grupo Evangélicos Pela Justiça (EPJ).
O EPJ reconhece, um tanto contente, que a Comissão de Direitos Humanos sempre esteve sob o domínio do PT. Durante o reinado do PT nessa comissão, o EPJ nunca protestou contra o PLC 122 ou contra o infame kit gay.
A postura oficial do EPJ, em concordância com sua mentalidade relativista esquerdista, é encarar a luta contra o PLC 122 como uma luta contra os próprios “direitos civis dos homossexuais”. Em documento recente, em posse de Julio Severo, o EPJ declara: “Temos observado uma postura dos deputados evangélicos contrária à defesa de direitos civis de homossexuais, transmitindo uma imagem que os evangélicos odeiam os homossexuais, apesar de repetidas declarações de que os amam e de que não são homofóbicos3. Lembremos de que mesmo entre grupos evangélicos as interpretações bíblico-teológicas sobre homossexualidade são muito variadas. Além disso, numa sociedade pluralista como a nossa, devemos partir do pressuposto de que Direitos Humanos são princípios fundamentais e inerentes, independentemente de orientação sexual e gênero”.
O EPJ também dá uma cotovelada nos parlamentares da bancada evangélica que se opõem ao PLC 122: “Parlamentares evangélicos, assim como de qualquer outra religião, devem lembrar que a liberdade religiosa assegura que regras ou costumes de uma determinada religião não podem ser impostos a qualquer pessoa. Muito menos podem tais regras ou costumes serem codificados em lei”.
Traduzindo: se a oposição ao homossexualismo e ao aborto tem raízes na cultura judaico-cristã do Brasil, deve ser totalmente rejeitada. Por outro lado, se o favorecimento ao homossexualismo e ao aborto tem suas raízes no socialismo, deve ser totalmente aceito, pois a religião marxista é “laica”.

Movimento Evangélico Progressista

Conheci o EPJ antes de sua metamorfose, quando ainda era o Movimento Evangélico Progressista (MEP), fundado pelo bispo marxista assassinado Robinson Cavalcanti.
A ética do MEP era sempre trabalhar com o PT, e sua linha de raciocínio era: O PT está autorizado, pelo deus-socialista, a impor suas próprias leis e imoralidades na sociedade.
Mas o mesmo MEP hostilizava toda tentativa evangélica de competição com o PT na modificação das leis.
O maior evento “ético” do MEP foi realizado, com o patrocínio do PT, no Congresso Nacional. O palestrante principal do evento foi Caio Fabio, outrora o maior astro da Igreja Presbiteriana do Brasil.
O decrépito MEP adorava o MST, um movimento comunista radical. E o EPJ? Na comemoração dos 25 anos do MST, oesquerdista Ariovaldo Ramos recebeu permissão de Geter Borges para representar o EPJ e aproveitou para louvar os desbravadores evangélicos socialistas do Brasil: Geter Borges, Robinson Cavalcanti, Caio Fábio, Ed Rene Kivitz, Marina Silva, Valdir Steuernagel e tantos outros.
Mas Ariovaldo sabe também louvar esquerdistas seculares. Recentemente, ele louvou Hugo Chávez como referência mundial. Esse é o mesmo Ariovaldo que fez parceria recente entre evangélicos e o governo do PT, mas ficou de boca fechada contra o representante do PT e sua ficha tenebrosa.
Reforçando essa aliança evangélica, o EPJ se aliou ao Conselho Latino-Americano de Igrejas para reunir, até o dia 21 deste mês, todas as organizações evangélicas esquerdistas da América Latina para pedir a renúncia de Marcos Feliciano e a volta na CDH do que eles chamam de líderes “democráticos”: o PT e sua corja.

Marcos Feliciano e suas reações confusas

A resposta de Feliciano a esses ataques tem sido confusa. Em entrevista nas páginas amarelas da revista Veja esta semana, ele destacou muito bem a postura cristã clássica, com relação aos homossexuais, de amar o pecador e detestar seu pecado. Mas ele se embaraçou todo nas outras perguntas inquisitórias do entrevistador, parecendo usar qualquer argumento artificial e pobre para escapar da armadilha dos questionamentos da revista.
Marcos Feliciano
Com relação ao ódio da esquerda evangélica, Feliciano manteve ontem um encontro secreto com Ariovaldo Ramos e outros pastores esquerdistas em São Paulo.
O que saiu desse encontro? Feliciano “moderará” seu discurso contra a agenda gay e abortista? Honestamente, não sei.
Mas gostaria que Feliciano entendesse que, exatamente como o PT vê, suas posturas antiaborto e antissodomia o tornam um empecilho para o avanço no Brasil de um socialismo que ele mal sabe o que é.
O ódio que ele sofre na pele agora, vindo igualmente da esquerda secular e da esquerda evangélica, tem a mesma fonte: a sereia vermelha que o seduziu nas últimas eleições.
No passado, muitos pastores protestantes, especialmente Caio Fábio, abraçaram essa sereia porque tinham a mesma ideologia. Eles fortaleceram o canto dela em todas as igrejas evangélicas do Brasil. Muitos pastores pentecostais e neopentecostais caíram no canto dela e no conto do vigário vermelho. Caíram por puro oportunismo.
Não é preciso ser um pastor pentecostal e ter poderosos dons de revelação para compreender que há algo de muito errado e podre no canto, conto e encantos do socialismo e dos socialistas.
Se Feliciano não entender isso, a sereia vermelha continuará cantando-o — até engoli-lo.
Leitura recomendada:

sexta-feira, 15 de março de 2013

Vergonha: Líderes evangélicos, apoiados pela revista Ultimato, se unem ao PT no pedido de remoção de Marcos Feliciano da Comissão de Direitos Humanos (Conheço muitos dos nomes abaixo, alguns são gays e lésbicas praticantes ou simpatizantes, muitos são liberais teologicamente, portanto, não são evangélicos, não acreditam mais na inerrância das Escrituras e em muitos pontos da ortodoxia cristã e outros assinaram sem saber o que estavam assinando. A grande maioria destes pseudos-evangélicos esquerdistas, macro-ecumênicos e homossexualistas não consegue assinar contra a nomeação de dois mensaleiros petistas para a comissão de constituição e justiça. Luis Cavalcante)


Vergonha: Líderes evangélicos, apoiados pela revista Ultimato, se unem ao PT no pedido de remoção de Marcos Feliciano da Comissão de Direitos Humanos


Vergonha: Líderes evangélicos, apoiados pela revista Ultimato, se unem ao PT no pedido de remoção de Marcos Feliciano da Comissão de Direitos Humanos

Julio Severo
Em carta pública, com o apoio da revista Ultimato (publicação calvinista de orientação marxista), dezenas de pastores protestantes pedem que parlamentares evangélicos e a própria OAB tomem providências contra a eleição de Marcos Feliciano.
Entre os que assinaram a carta estão:
A carta deixa claro que seus assinantes são militantes na área de direitos humanos. Vários dos assinantes são da Escola Superior de Teologia, cujo histórico de militância inclui palestra de Luiz Mott, o líder do movimento homossexual brasileiro.
Outros militantes da carta pertencem à organização esquerdista Rede Fale, que está pedindo uma audiência pública contra Feliciano.
Todos esses grupos e indivíduos só estão fazendo o que sempre fizeram: dando apoio ao PT. Se o PT quer Feliciano fora, eles dizem “amém”.
A ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis, Transsexuais e Transgêneros), em comunicado à imprensa no dia 10, domingo,prometeu que vai recorrer à ONU contra Feliciano.
Dá para compreender a ABGLT, o PT e outros radicais pedindo a cabeça de Feliciano. Mas não dá para entender líderes evangélicos colocando a religião marxista adotada em suas vidas acima do Evangelho de Jesus Cristo, principalmente quando deturpam o Evangelho em benefício de um podre pretexto ideológico para perseguir um pastor que, neste momento de colossal perseguição, precisa de apoio, não de condenação.
O problema de se julgar o caráter de Feliciano é que muitos dos pastores da lista da Ultimato têm um caráter ligado ao trabalho sujo de levar almas ingênuas aos currais de Karl Marx.
A seguir, disponibilizo a carta original da revista Ultimato com os nomes de todos os pastores traidores que estão apoiando o linchamento moral e midiático de Feliciano:

Carta evangélica contra Marcos Feliciano

Nós, pastores, pastoras e líderes evangélicos de organizações envolvidas com a agenda dos Direitos Humanos, escrevemos esta carta aberta para pedir sua intervenção nos recentes acontecimentos relacionados à nova composição da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados.
Constatamos, surpresos, que 12 dos 18 membros da Comissão são membros de Igrejas Evangélicas, o que representa grande responsabilidade para nós, pastores e líderes evangélicos envolvidos com esse tema. Entendemos que este momento representa uma oportunidade concreta para a promoção e a defesa dos direitos dos mais vulneráveis e das minorias. Nesse sentido, é preciso tanto uma postura de escuta à Deus e à sociedade, quanto a certeza de que os espaços de poder ocupados precisam ser utilizados principalmente como espaços de serviço.
No entanto, o quadro que assistimos no processo de eleição da presidência da Comissão foi desolador. Não se trata aqui de pré-julgar o presidente recém-eleito, mas não há como desconsiderar seus vários comentários públicos sobre negros, homossexuais e indígenas, declarações que inviabilizam a sustentação política de seu nome entre os que atuam e são sensíveis às temáticas dos Direitos Humanos.
A Igreja Evangélica brasileira experimenta um momento singular, com a enorme responsabilidade de ter vários parlamentares atuando na CDHM que foram apoiados oficialmente por diferentes denominações, situação que abre a possibilidade de que – caso haja mudanças na presidência da comissão e uma postura condizente com a função – seja dada uma importante contribuição ao campo dos Direitos Humanos no País. Para tanto, é fundamental que o clima de conflito e mobilizações contrárias à nova presidência seja dissipado. Por essa razão, redigimos esta carta como um apelo, na esperança de que os líderes das Igrejas considerem orientar seus fiéis que atuam como parlamentares – que elegeram a nova composição da Comissão -, para que atuem na resolução deste conflito.
O ano de 2013 pode trazer avanços nos trabalhos da CDHM e por isso fazemos este apelo aos líderes das igrejas que apoiaram os parlamentares evangélicos. Nosso pedido, aliás, se junta à conclamação de vários setores da sociedade e perpassa não somente movimentos ligados às lutas de minorias, mas também a OAB e diferentes indivíduos e organizações. Cumpre discernir que não há uma perseguição aos evangélicos; há, sim, uma situação de conflito que precisa ser equacionada, especialmente porque, para nós, o compromisso do Evangelho com os mais pobres e vulneráveis é central. Ainda há tempo para a indicação de um novo ou nova parlamentar que, a despeito de suas convicções, traga pacificação e consenso à sociedade brasileira, presidindo a CDHM com a isenção esperada. É tempo para nova disposição, numa postura aberta, a fim de que seja viável a indicação pelo PSC de um outro nome, que não possua tamanha rejeição.
Urge que os irmãos, pelas posições que ocupam, façam um firme e público pronunciamento para a sociedade e para os fiéis de suas igrejas com relação à defesa dos direitos humanos e à importante contribuição que a comunidade evangélica pode oferecer a este tema. Nossa oração é que exemplos históricos como os do Pr. Martin Luther King Jr., do Rev. Jaime Wright e do Bispo Desmond Tutu possam inspirar e servir de referência para a atuação dos vários parlamentares evangélicos na CDHM, levando-os a se posicionar ao lado dos que sofrem injustiças.
Prezados irmãos, escrevemos aqui sob o temor ao nosso Deus e conscientes de que há um caminho de consenso para esta situação. A ninguém, muito menos aos direitos dos que sofrem, interessa que esta disputa entre posições extremas prossiga.
Em Cristo, despedimo-nos,
Adriano Trajano – Pastor Batista
Alessandro Rodrigues Rocha – Pastor Batista
Alexandre de Silva – Pastor Igreja do Nazareno
Aluísio Faria de Siqueira – Pastor Metodista
Alzira dos Reis Silva – Presbítera Presbiteriana Unida
Ana Elizabete Barreira Machado – Rede Fale Goiânia
Ana Paula Calixto – Irmã Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo – Ministério Profético
André Esteves – Pastor Presbiteriano
André Mello – Pastor Presbiteriano
André Sidnei Musskopf – Escola Superior de Teologia/EST
André Tadeu de Oliveira – Licenciado Presbiteriana Independente
Anivaldo Padilha – Koinonia
Anselmo Melo – Pastor Comunidade Apostólica Operação Resgate
Antonio Carlos Costa – Pastor Presbiteriano/Rio de Paz
Antônio Carlos Ribeiro – Pastor Luterano
Antonio Carlos Rosalino – Pastor Luterana Livre
Ariovaldo Ramos – Pastor Batista
Bruno dos Santos – Pastor Apostólica Vida Nova
Bruno Privatti – Pastor Batista
Bruno Santos Nascimento Dias – Rede FALE Rio
Caio Marçal – Missionário Rede Fale
Carlos Alberto Bezerra Junior – Pastor da Comunidade da Graça
Carlos Alberto Rodrigues Alves – Reverendo Presbiteriano
Carlos Augusto Lopes Pastor Assembleia de Deus Independente
Carlos Eduardo Calvani – Reverendo Episcopal Anglicana
Carlos Eduardo Fernandes – Rede Fale Marabá
Carlos Eduardo Mattos – Pastor Metodista
Carlos Jeremias Klein – Reverendo Presbiteriana Independente
Carlos Queiroz – Pastor da Igreja de Cristo
Christian Gillis – Pastor Batista
Cibele Kuss – Pastora Luterana
Clarise Holzschuh – Pastora Luterana
Claudemir Elias dos Santos – Missionário Casa de Oração
Cleber Diniz Torres – Reverendo Presbiteriana Independente
Clemir Fernandes Silva – Pastor Batista
Clovis Pinto de Castro – Pastor Metodista
Cristina Scherer – Pastora Luterana
Daniel Costa – Capelão Batista El Shadai
Daniel de Almeida e Souza Jr – Pastor Batista
Daniel Mário Alves de Paula – Pastor Assembléia de Deus
Daniel Rocha – Pastor Metodista
Daniel Souza – Rede Ecumênica da Juventude/REJU
Daniela Frozi – Aliança Bíblica Universitária do Brasil/ABUB
Daniela Zeidan – Seminarista Batista
Danila Cristiny de Araújo Moura – FALE Pernambuco
Décio Weber – Pastor Luterano
Djalma Torres – Pastor da Igreja Evangélica Antioquia
Domingos Amauri Massa – Pastor Batista
Douglas Rezende – Rede Fale Paraná
Éber Ferreira Silveira Lima – Ministro Presbiteriana Independente
Edson Fernando de Almeida – Pastor da Igreja Cristã de Ipanema
Edson Igre Insarraldi – Pastor Batista Aliança Bíblica
Eliana Aparecida Amancio Cerqueira – Ministério de Mulheres Batistas
Eliana Rolemberg – Coordenadoria Ecumênica de Serviço/CESE
Eliandro Viana – Pastor Batista
Eliel Amaral – Pastor Igreja Maanaim
Elizabeth de Almeida Silva – irmã na Comunidade Evangélica Recomeço
Ely Eser Barreto César – pastor metodista
Elza Zenkner – Revda. Metodista
Ênio Caldeira Pinto – Universidade Filadélfia/Unifil
Epifanio Mendes – Pastor da Unidos em Cristo
Érick Rodrigo da Silva – Assembléia de Deus Ministério de Madureira
Filadelfo Oliveira – Bispo Episcopal Anglicana
Flávio Conrado – Novos Diálogos
Francisco Cézar Fernandes Alves – Reverendo Episcopal Anglicana
Francisco Simão Neto – Pastor Assembléia de Deus
Francisco Thiago de Almeida – Pastor Metodista
Genilma Boehler – Pastora Metodista
Geter Borges de Sousa – Evangélicos Pela Justiça/EPJ
Gilberto Carmo dos Santos – Pastor CEEA
Giselle Gomes da Silva Prazeres Souza – Reverenda Episcopal Anglicana
Guilherme Schaper – Pastor Luterano
Gustavo Lima – Pastor Presbiteriano
Haroldo Mendes – Reverendo da Anglicana Betesda
Hélio Sales Rios – Pastor Presbiteriano
Herminio Garcez – Pastor Batista
Inailda Bicudo – Presbitera Presbiteriana Independente
Isabelle Ludovico da Silva – Comunidade de Jesus
Ismar do Amaral – Pastor Presbiteriano
Israel Mazzacorati – Faculdade Latino Americana de Teologia Integral
Israel Viana – Ministro Batista Nacional Nova Vida
Jane Maria Vilas Bôas – Presbiteriana do Planalto
Jefferson Ramalho – Instituto Cristão de Estudos Contemporâneos
Jefferson Silva – Pastor Batista
Joanildo Burity – Espiscopal Anglicana
Joaquim Xavier de Souza Neto – Rede FALE Triângulo Mineiro
Joel Zeferino – Pastor Batista
Johannes Wille – Pastor Luterano
John Medcraft – Pastor da Ação Evangélica
Jônatas Souza de Abreu – Rede Fale Campina Grande
Jonathan Menezes – Pastor Presbiteriano
Jony Wagner de Almeida – Pastor Presbiteriano
Jorge Eduardo Diniz – Reverendo Presbiteriana Unida
Jorge L. D. Oliveira – Pastor Igreja do Avivamento Getsêmani
Jose Antonio Gonçalves – Pastor Presbiteriana independente
José Carlos Silva – Pastor Batista Nacional
José do Carmo da Silva – Reverendo Metodista
José do Nascimento – Instituto de Direitos Humanos do Mato Grosso do Sul (IDHMS)
Jose Romulo de Magalhaes Filho – Pastor Presbiteriana Independente
José Wendel Cavalcante Ferreira – Rede FALE Fortaleza
Josias de Souza Novais – Pastor Batista
Jovane Borlini da Silva – Pastor Batista
Juliano Fabricio – Sal da Terra
Julio Paulo Tavares Zabatiero – Faculdade Unida de Vitória
Karen Aquino Rangel da Costa – Rede FALE Juiz de Fora
Karin Kepler Wondracek – Escola Superior de Teologia/EST
Kathlen Luana de Oliveira- Escola Superior de Teologia/EST
Keiny Moreira da Cunha – Pastor Batista
Lays Gonçalves da Silva – Rede FALE Paraná
Léa Cordeiro – Pastora Metodista
Leomar Erlei Fenner – Pastor Luterano
Leonara Almeida – Rede Fale São Paulo
Leonardo Rodrigues – Pastor do Minstério Nova Unção
Levi Araújo – Pastor Batista
Lirian Angélica Rezende de Moraes – Rede FALE BH
Louraini Christmann – Pastora Luterana
Luciano José de Lima – Reverendo Metodista
Luiz Caetano Grecco Teixeira – Rev. Episcopal Anglicana
Luiz Carlos Gabas – Reverendo Episcopal Anglicana
Luiz de Jesus – Pastor Batista Boas Novas
Luiz Mattos – Instituto Anima
Lyndon Araujo – Pastor Congregacional
Manoel Ribeiro de Moraes Junior – Pastor Batista
Marcelo Gualberto da Silva – Pastor Presbiteriano
Marco Aurélio Alves Vicente – Pastor Assembléia de Deus – Catedral da Família
Marco Davi de Oliveira
Marcos Custódio – CADI-Origem
Marcos Fellipe Marques – Pastor Comunidade de Jesus
Marcos Machado – Pastor Batista
Marcos Monteiro – Pastor Comunidade de Jesus em Feira de Santana
Marcos Viana – Pastor Comunidade Cristã em Amsterdam
Marcus Vinicius Matos – Rede Fale Coordenação Nacional
Mardes Silva – Pastor Igreja Betesda do Ceará
Mauricio Andrade – Bispo da Episcopal Anglicana
Mauro Ferreira – Reverendo Presbiteriano
Mersia Lisboa Costa – Missionária Batista
Miguel Ângelo – Presbítero Igreja de Cristo
Moisés Abdon Coppe – Pastor Metodista
Morgana Boostel – Rede FALE
Mozart João de Noronha Melo – Reverendo Luterano
Nancy Cardoso Pereira – Pastora Metodista
Nello Pulcinelli – Pastor Batista
Nelson Gervoni – Pastor Batista
Neusa Butzlaff – Pastora Luterana
Neusa Tetzner – Pastora Luterana
Octavio A. S. Filho – Pastor Metodista
Odja Barros – Pastora Aliança de Batistas do Brasil
Orivaldo Lopes Junior – Pastor Batista
Orvandil Moreira Brabosa – Bispo Igreja Anglicana Tradicional do Brasil
Ozenildo Santos Xavier da Rocha – Pastor Batista
Paltiel de Souza Ferreira – Bispo Comunidade Evangélica Cristã
Patrick Timmer – Missionário da Aliança Bíblica Universitária do Brasil/ABUB
Paulo Ayres Mattos – Bispo Metodista
Paulo Cesar Garcia – Pastor Comunidade Milícia
Paulo César Sousa Marçal – Rede Fale Sobral
Paulo Saraiva – Pastor Batista
Pericles Gonzaga de Souza – Pastor Presbiteriana Unida
Rafael Lira – Juventude Batista do Estado de SP
Raul Matamala Seminarista Batista
Regis Augusto Domingues – Reverendo Episcopal Anglicana
Reinaldo Castro – Pastor Comunidade Cristã Novo Nascimento
Renan Nery Porto – Fale Uberaba
Ricardo Bitun – Pastor da Igreja Manaim
Ricardo Matense – Evangélicos Pela Justiça/EPJ
Robson Gomes – Pastor da Igreja Missional
Rodrigo Guimarães Pinheiro – Pastor Batista
Romi Becker – Pastora Luterana
Ronny Clayton – Pastor Batista
Rosilea Maria Roldi Wille – Luterana
Rubens Rodrigues de Lima Comunidade Evangelica Apostolica Restauração
Sandro Amadeu Cerveira – Reverendo Presbiteriana Unida
Sérgio Andrade – Deão Episcopal Anglicana
Serguem Jessui Machado da Silva – Tearfund
Simei Marcondes de Carvalho – O Brasil para Cristo
Suelen Cristina – Ministério Tudo Pelo Reino
Thomaz Werneck – Seminarista Congregacional
Valdir Steuernagel – Pastor Luterano
Valmir Paze – Pastor da Ig Nazareno/Mov. Evangélico Progressista/MEP
Vanda Aparecida Fernandes Massa – Capelã Batista
Vilma Petsch – Diácona Luterana
Vitor Louredo de Souza – Grupo de Ações Evangelísticas – Missões Urbanas
Wagner Lemos Junior – Movimento pela Ética Evangélica Brasileira
Waldir Benevides- Reverendo Presbiteriano
Wanderson Campos – Seminarista Metodista
Welinton Pereira – Pastor Metodista
Wellerson de Almeida – Reverendo Anglicano
Wellington Santos – Pastor Batista
Wellington Vieira – Pastor Federação das Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil/FETEB
Wellison Magalhães Paula – Pastor Batista
Werner Fuchs – Pastor Luterano
Wertson Brasil – Presbítero Presbiteriana Unida
Wilson de Oliveira – Pastor Batista
Yokimi Yuaça – Pastora da Igreja Holiness
Ziel Machado – Pastor Metodista Livre
Zwinglio Mota Dias – Pastor Presbiteriana Unida
Leitura recomendada:


24 comentários:

Anônimo disse...
Esperar o que de uma denominação, a Presbiteriana , que a exemplo da Presbiteriana Americana teve no ano passado um racha, literalmente ,pois na America, alem de perseguir e boicotar Israel esta agora ordenando gays e lésbicas para pastores, e que aqui no Brasil sempre desprezou o Espirito Santo e seus dons com seus teólogos e reverendos lotando as reuniões maçônicas . O resultado esta ai . Cada vez mais na lama do pecado e da iniquidade, achando que não pagaram com justo juízo de Deus em suas vidas e ministérios.

Semana passada estava assistindo um clássico do cinema aqui em casa...Doutor Jivago....e aconselho para que assistam esse filme para se ter uma pequena ideia do que o comunismo fez e ainda faz na vida de milhões de pessoas. Mas mesmo assim, ainda ha cristãos que desprezam o Espirito Santo e seus dons e abraçam a cegas a ideologia comunista que caso clássico desses ditos servos de Deus e sites com Genizah.

Mas irmãos, e muuuuito bom mesmo que o joio esteja colocando suas cabeças amostra para que no devido tempo, e esse tempo esta bem próximo, posso haver a separação eterna do joio do trigo

Pastor Caleb
Simone Izidra disse...
Como diz a bíblia, vigiai pois se possível enganaria até os escolhidos... Eu lamento que esses pastores tenham se corrompido assim, acredito que alguns por leviandade outros por má informação e manipulação mesmo. Sinceramente esses pastores deram tiro no pé e com certeza suas convicções serão questionadas. Se fosse um pastor meu me perderia como ovelha... Acordem! Muitos dormem! A gente sabe que muito do que acontece é Deus que permite para se cumprir a profecia. Mas veja o que Jesus diz a respeito: "Ai do mundo por causa das coisas que fazem com que as pessoas me abandonem! Essas coisas tem que acontecer, mas ai do culpado!" (Mateus 18:07)
José Edesio disse...
O Luiz Mott referido na postagem não é apenas líder do movimento homossexual brasileiro, mas também um pedófilo assumido e declarado. Aproveitamos para pedir a todos que assinem o abaixo pedido que o mesmo seja investigado pelo Ministério Público. Acesse;http://agrandepescaria.blogspot.com.br/2013/03/abaixo-assinado-pedofilia-e-crime.html e veja o tipo de gente que esses pseudo pastores estão unidos. Depois cada um julgue se eles tem autoridade para pedir alguma providência contra o Pastor Marco Feliciano.
Marcio disse...
"Cristãos" se unindo aos petralhas.

Vergonha!
Trindade disse...
Olá Júlio;
O pessoal que assinou esse abaixo assinado deve pedir perdão a Deus se quiserem comunhão com Ele.
O Pr. Marcos Feliciano foi mordido pelas cobras que ele criou, cuidou, amou, se esforçou ao máximo para enganar os cristãos, mas mesmo depois de tudo isso o Espirito Santos não me autorizou a me aliar a marxistas pró morte e pró sodomia.
George Gonsalves disse...
Lamentável.Não acredito que Feliciano seja o melhor deputado do Congresso (o seu ministério pastoral não está em questão), mas não vi estes nobres pastores se levantarem contra outros congressistas que apoiam causas anti-cristãs como, por exemplo, o aborto. Citar o nome de Luther King neste protesto é engano. Parece mais uma tentativa covarde de ser aceito pelo "sistema". Ah, Xuxa e Jean Wyllys também concordam com o documento.
Claudio Vaz disse...
Quaisquer destes subscritores da carta poderá estar no papel de Feliciano amanhã e, assim como ele, será descartado como 'idiota útil', como 'companheiro de viagem' que é.
jonas Junior disse...
Essas pessoas estao,mais proximas do inferno doque elas imaginam,Deus tenha misericordia dessas vidas,mais esses teologos,pastores,bispos,reverendos e seminaristas são mais burros doque o propio burro,depois que os ativistas gays,tomarem o poder eles serão os primeiros a se ferrar,bando de idiotas...
Rafael disse...
O erro destes pastores mesmo não concordando teologicamente com o pastor Marco Feliciano é que estes simplesmente estão dando munição para a esquerda e para os ativistas gays.Querem tirar o pastor com quais justificativas?Homofobia?Onde?Racismo?Que eu saiba seu padrasto é negro e sua mãe mulata.
Jabesmar A. Guimarães disse...

Interessante observar a que igrejas e entidades pertencem os signatários da carta.
Numa rápida olhada identifiquei duas denominações que ensinam a seus membros que o batismo infantil praticado por elas é suficiente para a salvação. Sei do que estou falando, pois temos uma congregação com mais de 80 convertidos que pertenciam a tal "igreja". Eles mesmo dão testemunho da nova vida após receberem Jesus como único Salvador.
Há também o representante de uma entidade na qual os professores ensinam que a Bíblia é o conjunto da experiência dos escritores os quais nunca tiveram a pretensão que seus escritos fossem tido como Palavra de Deus. Para eles a Bíblia não é um livro inspirado por Deus e a tratam como um livro qualquer.
Há outras heresias, mas para o momento outras bastam. Neste caso eu também sei do que estou falando pois tal instituição é da minha cidade e conheço gente que estuda lá.
Vi também nome de pessoas ligadas a denominações sérias e minha conclusão é que de duas uma. Ou estas pessoas não são sérias ou então acabaram caindo na conversa fiada desta malta que ataca o Feliciano.

NÃO! não sou da igreja do Feliciano e tenho sérias divergências teológicas com ele, mas dai a me juntar a gente do naipe do sr. Jean Wyllys e sua trupe para atacar um irmão em Cristo falsamente acusado de Racista e Homofóbico há uma distancia enorme. Como me juntaria a iníquos para atacar a um irmão em Cristo?
Anônimo disse...
Senhores, conheço alguns dos que subscrevem esta carta. Sei que são defensores do homossexualismo, além disso petistas (ou simpatizantes). Em vez de apoiarem o pastor Feliciano contra o movimento gay, fazem o contrário.

Agora, eu gostaria de perguntar aos subscritores por que não abrem a boca contra o apoio do governo ao regime totalitário de Cuba? Por que não falaram nada em relação à blogueira cubana que foi hostilizada? Ao mensalão do PT? Por que não abrem a boca contra a compra de votos travestida de serviço social? Contra enganos, pois a nossa presidente, na campanha eleitoral, acusou o seu oponente de querer privatizar portos e aeroportos, e agora ela está fazendo isso (nada contra a privatização; apenas contra o engano)?

O que está acontecendo é uma ditadura gay, apoiado por evangélicos insensatos que tem fobia dos valores do cristianismo.
Mas, ao mínimo, ganhamos, ao saber quem é quem (1Co 11.18,19), inclusive a Ultimato mostrou as unhas.

Eu sei que no meio neopentecostal há erros, mas na postura contra o homossexualismo eles estão certos. Até Reinaldo Azevedo reconhece isso em seu blog.

O homossexualismo, além de ser reprovado pela Bíblia, é nocivo à saúde, não é higiênico, não produz vida, pois é estéril. E que intolerância é essa contra alguém que não concorda com a prática homossexual?

Querem ser baluartes de Direitos Humanos, mas não respeitam a postura do outro; são intolerantes.

Protestem contra o regime totalitário de Cuba; as arbitrariedades que acontecem na Venezuela; contra as campanhas do governo referentes ao uso da camisinha, que estimula a promiscuidade, e a consequente violência que grassa em nossa sociedade; lutem contra a falta de vontade de estudar do nosso povo; abram a boca contra a displicência com que muitos serviços são executados, mas, principalmente, arrependam-se, retirando o nome da carta.
cfmusician disse...
Seu comentario foi radicalmente danificador para prebiteriana.se posicionar favoravel a um movimento nao significa que eu como presbiteeriano o apoio tambem; sei sim que existem muitos que se dizem pastores enrredados por este caminho; nao somente de uma determinada denominaçao , mas de varias;porem o fato de voce ter usado esta denominaçao no seu comentario de uma forma radical negativa,me ofendeu
Creio que como pastor é meu dever subir no altar e pregar o que a biblia diz e nao levar os comentarios de determinados individuos que se dizem pastores do rebanho de Deus, sobre uma certa denominaçao.
O pr marco feliciano nao é perfeito, comete gafes terriveis; na minha opiniao esta no lugar errado, pois pastor foi chamado pra pastorear e nao ser politico, porem, se ele esta la é porque Deus permitiu e o que devo fazer senao somente orar para que ele como evangelico, seje luz.
Pastor Rhadamés Richard Albuquerque disse...
Uma boa parte dos pastores desta nação estão aliançados com satanás e com este governo corrupto,e outros ainda pensam em espíritualizar tudo,acham, que é só orar e está tudo bem,a igreja sem as obras é morta,ou melhor a fé sem atitude não pode fazer nada,e certo é que sem oração as correntes não são rompidas,mais o que adianta estarmos entre 45 milhões de evangélicos se boa parte está adormecidos pela ignorância ou cegueira espiritual?Gente que acha que o poder de Deus se constitui em rodar e pular aos montes,mais sem ter uma verdadeira mudança de vida e de caráter?Outros apenas acham que não devemos fazer nada e esperar que satanás se aposse de nossas ideologias e fé sem que tomemos algumas atitudes?Está na hora de deixar de ser meninos na fé e pedir para Deus lhes abrir os olhos espirituais para que vocês possam ver as armadilhas de satanás.Esta na hora de para de ser criança na fé e se despertar para o que está acontecendo,e ver que as potestades que estão sobre o Brasil estão atacando as igrejas,e os crentes dormem!Pastor Rhadamés Richard
Claudio Vaz disse...
Interessante. Sempre temos aqui no blog de forma recorrente algum presbiteriano dando explicações.

-POR QUE SERÁ?-

Quem acompanha (o blog) sabe que eu digo a verdade.
Fernando C.P. disse...
Me enviaram por e-mail uma petição para assinar essa tal carta. Recusei.
Anônimo disse...
Prezados, não creio que citar denominações seja o correto, visto que conhecemos muitos irmãos de algumas das denominações citadas que são fieis a Deus. Não vamos generaliar. Mas quando vejo isto, me lembro da perda de identidade que ocorreu no tempo do profeta Elias. O povo começou a ficar em dúvida, alguns começaram a crer nos profetas de BAAL, até que Elias teve que lhes mostrar que Deus ainda estava no controle de todas as coisas. Penso que algo assim, está ocorrendo no meio evangelico, mas hoje não teremos um profeta como Elias para nos mostrar a qual lado está certo, mas graças a Deus, temos o evangelho de Cristo que nos dá direção segura, é só nos voltarmos para ele e assim não perderemos o foco junto com os demis. Adalberto Pimentel
Anônimo disse...
Eles dizem "é preciso tanto uma postura de escuta à Deus e à sociedade"

Me parece que eles fazem "a sociedade" de um deus.

Sabemos que a sociedade não deseja fazer a vontade de DEUS.

Outra coisa, eles falam "a sociedade", fazendo parecer que é a sociedade como um todo, quando não é nem metade da metade.
Anônimo disse...
Boa tarde irmão Júlio Severo

Se tem pastores e padres que são a FAVOR da agenda gay, só faz REFORÇAR a minha CERTEZA de nunca querer ter UMA RELIGIÃO. Posso até está errado e enganado em meu modo de penasar - admito - mas nunca seria um homem manipulado por esses pastores do DIABO.
Porque eu penso assim? Simples! Em meu modo de entender a Bíblia é a Constituição de Deus, e sendo assim, ela não poder ser derespeitada e julgada por um simples pastor gayzista e muito menos ter várias interpretação.
O que diz a Bíblia com relação ao homossexualismo? CONENA! Pronto! Deveria todos os pastores de Deus ensinar isso a seus fies, e o pastor que não faz isso, tem por base os ensinamentos do diabo.
Volto a bater na emsma tecla: "a sociedade brasileira é culpada de tudo que está acontecendo de ruim em nosso país", e principalmente os evangélicos que "FINGEM" acreditar nas promessas de candidatos do PT. Quem elegem os politicos "são a maioria".

2014 está em nossas portas. Vamos tirar o PT do poder!!!

Lúcio
Casal Vintera disse...
Ja consegui aqui acesso à lista. Estou chocada! Vou repassar por email
Alessandro disse...
A Paz de Cristo Júlio,

Você tem sido o único a desmascarar o ativismo esquerdista no seio das igrejas evangélicas e talvez o Olavo tenha colaborado para essa sua percepção. Alguns blog´s ditos ''apologetas '' que pensavam que podiam te intimidar com meia dúzias de post´s e inverdades, começam a ver agora a verdadeira extensão e envergadura de sua obra e luta. E que verdadeiramente muitas denominações evangélicas se encontram infestadas de apologetas do homossexualismo, aborto, relativismo e outros dogmas da pós-modernidade.

Você a muito tempo vem denunciando esses progressitas infiltrados nos púlpitos das igrejas e que usam o nome de Cristo para promover o marxismo-cultural, e as mascararás estão caindo, tanto que já não podem ocultar suas pretensões.

É um absurdo que esses pastores usem do mesmo subterfúgio do sindicalismo gay para acusar e incriminar o Pr Feliciano por dizer o que pensa e o que pretensamente sente ( criminalizando idéias e emoções ), usando como pano de fundo seu desacordo teológico quanto a mesma adotada por Feliciano. Estão processando o Pr Marcos Feliciano por homofobia ( só por ser contra o casamento gay e a prática gay já é acusado como homofóbico ) e vejam que o projeto de lei a tal PL 122 ainda nem foi aprovada ( imaginemos quando for ) e gostaria de ouvir alguns apologetas que afirmavam que o tal projeto não iria amordaçar a pregação cristã e a opinião, sendo que, sem ser aprovada eles já estão acionando a justiça acusando o Pr de homofobia e racismo.

Vergonhoso e lastimável ver que esses nobres e distintos sacerdotes preferem a efêmera glória e respeitabilidade dos secularistas e não o vitupério de Cristo.
Anônimo disse...
Irmão Cláudio Vaz.

Creio que o irmão cfmusician não veio dar explicações...acredito que ele simplesmente veio se posicionar. Também penso que este é um importante espaço democrático de esclarecimento, e que não devemos cair no equívoco dos fundamentalistas gayzistas e esquerdistas, como também dos grupos ditos a favor da família, mas que fecham os olhos para outras inúmeras atrocidades. Que Deus nos ajude a discernir.

Alan de Barros
Moacir disse...
É UMA VERGONHA O QUE ESTOU VENDO E LENDO:PASTORES QUE DEVERIAM SER BALUARTES DO EVANGELHO DE CRISTO ESTÃO SE MISTURANDO COM ESSA GENTE QUE INEGAVELMENTE SÃO CONDENADOS PELO EVANGELHO.LAMENTO MUITO VER QUE AS VÁRIAS DENOMINAÇÕES CITADAS FORAM JOGADAS NO CHÃO E OS SEUS MEMBROS QUE MUITAS VEZES SÃO CRENTES SINCEROS TAMBÉM FORAM.O MELHOR QUE TEMOS A FAZER NESSE MOMENTO DA NOSSA HISTÓRIA É ORAR POR ESSES ASSUNTOS E DEIXAR QUE DEUS NOS MOSTRE O CAMINHO.COMO CRISTÃOS DEVEMOS DAR EXEMPLO E NÃO LEVANTAR NOSSAS VAZES EM ÍRA.AFINAL DE CONTAS NÓS DEVEMOS SER COMO O SALMISTA DIZ NO SALMO 125 (LEIA).NÃO DEVEMOS NOS ESQUECER QUE O MALÍGNO ESTÁ NO CONTROLE DAQUELES QUE NÃO TEM O PENSAMENTO EXERCITADO NA JUSTIÇA DE DEUS.
Julio Severo disse...
Gente, conversei com um pastor batista tradicional que conhece pessoalmente vários dos nomes desses pastores esquerdistas. Ele me disse que entre eles há defensores do homossexualismo.

Outro amigo me disse que o Ricardo Bitun, que consta nesta lista vergonhosa, ocupa um importante cargo na Universidade Presbiteriana Mackenzie, a mesma universidade que recentemente esteve envolvida no escândalo da visita de Jean Wyllys em suas dependências, conforme informação neste artigo:

Vaias e clima de hostilidade marcam presença de Jean Wyllys no Mackenzie
George disse...
Respondendo ao Moacir,

O Senhor Jesus, na Sua Palavra, disse com todas as letras:

"É impossível o escândalo não vir ao homem, mas ai do homem por quem o escândalo vem" (Lucas 17:1)

Escândalo. Não existe palavra melhor do que esta para definir, de forma precisa, o que está acontecendo em algumas igrejas evangélicas (e com algumas lideranças religiosas) do Brasil e do mundo.

Diante de tal quadro, uma pergunta inevitável se faz necessária: qual a verdadeira igreja de Jesus? É aquela que exige santificação dos seus membros, que obedece somente à Palavra de Deus, que combate com firmeza o pecado, que não tolera as coisas mundanas dentro dela, e que não compactua com heresias e nem falsos profetas (e nem faz acordos ou alianças de caráter duvidoso)? Ou é aquela que aceita todo tipo de gente, que adota o "politicamente correto" (mas biblicamente imoral) para agradar aos homens e ao mundo, que tolera os "modernismos" do mundo, e que deturpa a Palavra de Deus para a conveniência de alguns?

Aliás, existem alguns "ingredientes" (escândalo dentro das igrejas, apostasia de alguns líderes e de alguns cristãos, e outras coisas erradas) que fazem parte do "pacote" pré–retorno de Jesus. A própria Bíblia confirma isso:

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Eu pergunto:

- Não é exatamente isto o que está acontecendo nestes últimos tempos em muitas igrejas?

- Por que muitos líderes e pregadores (como os que foram citados na lista publicada neste artigo), que deveriam dar o bom exemplo, são os que mais se envolvem em escândalos (fazendo com que a igreja do Senhor fique com a imagem denegrida perante a opinião pública)?

Muitos pastores e líderes de igrejas talvez estejam esquecidos de que o julgamento começará dentro da igreja:

"Pois já é tempo de se começar o julgamento pela casa de Deus; e se começa primeiro por nós, qual será o fim daqueles que desobedecem ao evangelho de Deus? E se somente o justo se salva, onde aparecerá o ímpio e o pecador?" (1 Pedro 4:17–18)

Quando Jesus voltar, a Sua igreja terá que se apresentar a Ele com as vestes limpas (isto é, sem a mancha do pecado). É como bem disse o apóstolo Paulo:

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Efésios 5:26–27)

Para esses pastores e líderes que estão sendo tolerantes com o pecado (e fazendo aliança com escravos do diabo a fim de prejudicarem os servos de Deus), Jesus dá uma advertência muito séria. Gostaria que todos prestassem bastante atenção a estas palavras de Jesus (as quais eu faço questão de transcrever em caixa alta):

"NEM TODO AQUELE QUE DIZ: SENHOR! SENHOR! ENTRARÁ NO REINO DOS CÉUS, MAS SOMENTE AQUELE QUE FAZ A VONTADE DO MEU PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS. MUITOS, NAQUELE DIA, HÃO DE ME DIZER: SENHOR, NÃO PROFETIZAMOS EM TEU NOME? E NÃO EXPULSAMOS DEMÔNIOS EM TEU NOME? E NÃO FIZEMOS OBRAS GRANDIOSAS EM TEU NOME? PORÉM, EU VOS CONFESSAREI: NUNCA VOS CONHECI. APARTAI-VOS DE MIM, VÓS QUE PRATICAIS A INIQÜIDADE" (Mateus 7:21–23)

Só sei de uma coisa: quando Jesus voltar, toda essa sujeira vai ter fim! E muitos pastores e líderes de igrejas que estão agindo errado vão ter que prestar conta a Jesus! Eu não quero estar na pele deles neste mesmo dia!

Para finalizar minha mensagem, deixo este versículo para a reflexão de todos:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/03/vergonha-lideres-evangelicos-apoiados.html